Exportações

UE perdeu 2,2 mil milhões com embargo russo

Comissário Europeu para a Agricultura defende ‘união’ dos Estados-Membros para “eliminar distorções competitivas”

Com o embargo russo aos produtos agrícolas da União Europeia, a agricultura da UE perdeu cerca de 2,2 mil milhões de euros entre abril de 2015 e março de 2016. De acordo com o jornal Público, no período em análise, as exportações de bens agrícolas e alimentares da União Europeia para a Rússia atingiram os 5,5 mil milhões de euros, menos 29 pontos percentuais do que no período homólogo.

Um relatório publicado pelo Parlamento Europeu em 2015 já indicava que com o embargo russo se poderiam perder cerca de 130 mil postos de trabalho no setor agrícola, contudo, a Comissão Europeia, diz o Público, “desdramatiza” e refere que “a maioria dos setores afetados conseguiu encontrar mercados alternativos quer dentro, quer fora da Europa”.

Entre os mais afetados estão os produtores de frutícolas, leite e suínos, com Portugal na dianteira a enfrentar uma das maiores crises.

De acordo com a publicação, “a Rússia era o segundo maior comprador de produtos agrícolas da União Europeia e 73% dos bens embargados eram fornecidos pelos Estados-membros da UE.”

No que a Portugal diz respeito, a Rússia surge no 15º lugar enquanto um dos maiores clientes de produtos agrícolas, graças a produtos como o vinho e o azeite, que ficaram de fora do embargo.