Agroindústria

Pode a comida substituir os medicamentos? Tendência está a crescer

Pode a comida substituir os medicamentos? Tendência está a crescer

E se as refeições que come todos os dias tivessem também o potencial de melhorar a sua saúde e substituir a medicação que toma? Nos Estados Unidos da América, a prescrição de alimentos para a prevenção e redução dos sintomas de algumas patologias é uma tendência em crescimento.

A startup SunBasket é uma das que já está a capitalizar na tendência e está a levar a cabo um projeto piloto com uma seguradora para perceber se os seus kits de refeição saudáveis e criados com o objetivo de minimizar os sintomas de algumas patologias podem ajudar a poupar em despesas médicas.

Para provar o potencial do conceito, a startup está a realizar um estudo clínico com pacientes com diabetes que consomem as suas refeições personalizadas e entregues em casa com instruções de preparação. Cada refeição é criada com o objetivo de ser rápida e fácil de preparar e, claro, saudável.

Este conceito de alimentação como substituto de medicamentos é um movimento que promove o consumo de dietas saudáveis com o objetivo de prevenir e minimizar os sintomas de doenças crónicas como a hipertensão e a diabetes. A grande meta da SunBasket é, assim, que os médicos passem a prescrever os seus kits de refeição em vez de medicamentos.

“A ideia por detrás da alimentação como ‘medicamento’ é pensar de forma diferente sobre a saúde e se alguém não está bem, olhar para as possíveis causas e resolver aquelas que estão especificamente relacionadas com a dieta de uma forma mais interessante”, defende Kevin Peterson, Head of People Operations da SunBasket.

A empresa conta já com refeições certificadas pela Associação Americana de Cardiologia com baixos níveis de sódio e sem gorduras, e com refeições para diabéticos, criadas em parceria com a Associação Americana da Diabetes. Para além disso, a marca oferece dez planos alimentares personalizáveis de acordo com algumas necessidades e objetivos de saúde.