Quantcast
Agricultura

CNA contesta Cimeira das Nações Unidas sobre Sistemas Alimentares

A CNA – Confederação Nacional de Agricultura pede o fim do acordo de parceria entre a ONU e o Fórum Económico Mundial (FEM), para a organização da Cimeira das Nações Unidas sobre Sistemas Alimentares, em 2021 (UNFSS21).

Um conjunto de 550 movimentos sociais e organizações da sociedade civil de todo o mundo, entre eles a CNA, enviou uma carta com o pedido ao Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres.

Em comunicado, a CNA revela que a decisão se deve ao FEM representar “as corporações transnacionais e o agro-negócio que lucram com a Agricultura, a Pecuária e a Pesca industriais e são responsáveis pela destruição dos ecossistemas, pela apropriação de terras, da água e dos recursos naturais”, entre outras problemáticas.

Para a CNA, “a Agricultura Familiar, que produz mais de 80% dos alimentos do mundo, deveria ocupar a centralidade desta Cimeira, particularmente durante a Década da Agricultura Familiar (2019-2028), decretada pelas Nações Unidas”. Também defendem que o objetivo da cimeira deveria ser envolver os países mais afetados pela fome e pela crise climática e sanitária, de forma a se alcançar o objetivo de Desenvolvimento Sustentável 2.1.

A CNA apela a que o Governo português defenda os interesses da Agricultura Nacional e da Soberania Alimentar, “impedindo que as grandes multinacionais venham a determinar as principais “conclusões” da Cimeira”, revela, em comunicado.