Quantcast
Agricultura

Coopenela estima produção de cerca de 470 toneladas de castanha este ano

Produtores de castanha pedem apoios para enfrentar ano de “calamidade”

A campanha de produção de castanha da Cooperativa Agrícola de Penela da Beira (Coopenela) foi antecipada, este ano, em cerca de quinze dias. Em declarações à agência Lusa, o presidente do conselho de administração da cooperativa, José Ângelo Pinto, referiu que a produção é de “excelente qualidade” e prevê uma quantidade de cerca de 470 toneladas, o equivalente à de 2019.

“É um ano excecional em termos de qualidade, com qualidade muito acima da que tem ocorrido em anos anteriores. Portanto, do ponto de vista da produção, temos razões para estar muito satisfeitos com o produto que os nossos agricultores nos estão a entregar”, disse o responsável.

Quanto à comercialização da castanha, a Coopenelatem uma política “baseada na exportação” e, este ano, devido à pandemia causada pela covid-19, está a ser vendida “um bocadinho mais devagar do que em anos anteriores”, mas “bem”.

A castanha da Coopenela é exportada para países como França, Alemanha, Áustria, Itália, Espanha, Brasil e Estados Unidos da América.

“A nossa expectativa é a de um bom escoamento do produto, um bocadinho mais devagar do que em anos anteriores, mas com uma valorização que pretendemos que seja boa”, sublinha José Ângelo Pinto.

Em 2019, a cooperativa de Penela da Beira exportou 92% da produção e em 2018 um total de 96%. Este ano estima exportar “à volta dos 80%”.

No mercado nacional, a direção prevê que a comercialização de castanha “tenha uma expressão um bocado mais forte” do que em anos anteriores.