Agricultura

Cantanhede já tem Centro Comunitário de Lavagem de Pulverizadores

Cantanhede já tem Centro Comunitário de Lavagem de Pulverizadores

O Centro Comunitário de Lavagem de Pulverizadores e Tratamento de Efluentes Fitossanitários de Cantanhede, foi inaugurado no passado dia 21 de junho. De acordo com a Syngenta, que está por detrás do projeto, em parceria com a Junta de Freguesia da Cordinhã, esta tecnologia de proteção ambiental vai servir 250 viticultores da região.

“O sistema Héliosec, oferecido pela Syngenta à autarquia, funciona por desidratação natural através do vento e da temperatura, eliminando definitivamente os restos de calda e as águas residuais de lavagem dos pulverizadores”, explica ainda a empresa.

Pedro Carranha, presidente da Junta de Freguesia da Cordinhã, explica que “este Centro de Lavagem de Pulverizadores é um equipamento único no país que vem dar resposta a três desafios: preservação ambiental, cumprimento da legislação relativa à utilização dos fitofármacos (recolha e tratamento) e apoio aos agricultores. Está preparado neste momento para receber aproximadamente 8 000 litros de efluente, mas está concebido para receber mais módulos de Héliosec e depósitos, podendo ir até aos 20 000 litros”.

“Estamos numa zona de grande produção vitivinícola onde se fazem muitos tratamentos nas vinhas durante a campanha. Os agricultores têm necessidade de soluções para gerir de forma correta o resíduo resultante da lavagem dos seus pulverizadores. O sistema Héliosec é uma das soluções que a Syngenta encontrou para ajudar os agricultores a praticar uma agricultura sustentável e amiga do ambiente”, afirma Felisbela Campos, responsável de assuntos corporativos da Syngenta em Portugal.

Já o secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde, que marcou presença na inauguração deste centro, refere que se trata de “um excelente exemplo a acrescer à reconhecida qualidade dos vinhos da Bairrada, é um sinal de que os viticultores da região se preocupam com o ambiente e certamente isto reverterá a vosso favor. Espero que a utilização deste Centro entre nos usos e costumes da atividade vitícola e que seja um exemplo para o futuro.”

Para o presidente da associação ambientalista Quercus, Paulo do Carmo, esta “é uma grande iniciativa, uma novidade a nível nacional, é a primeira vez que uma autarquia implementa um projeto ligado à produção vinícola que é muito amigo do ambiente e resolve problemas relacionados com a atividade das pessoas. É um exemplo de sustentabilidade e deve ser replicado”.