Sustentabilidade

Consumidores e produtores abertos a produção alimentar mais sustentável

Consumidores e produtores abertos a produção alimentar mais sustentável

Nove em cada dez consumidores estão dispostos a pagar mais por alimentos mais nutritivos e produzidos a partir de novas técnicas de cultivo, revela um estudo realizado pela Corteva Agriscience e pelo Grupo Financial Times.

De acordo com o estudo, os consumidores e agricultores europeus “veem a sustentabilidade como uma prioridade absoluta e estão abertos a tecnologias inovadoras que possam produzir alimentos mais nutritivos.”

O documento é baseado em duas pesquisas que envolveram 600 proprietários e gerentes agrícolas em França, Alemanha, Itália, Roménia, Reino Unido e Ucrânia e 2500 consumidores da França, Alemanha, Itália, Holanda, Polónia, Reino Unido e Ucrânia e indica que mais de dois terços dos agricultores entrevistados planeiam usar produtos derivados de novas técnicas de melhoria nos próximos cinco anos e mais de metade dos consumidores está disposto a aceitar essa tecnologia.

“As conclusões também revelam que, aquando da compra de alimentos produzidos de forma sustentável, os consumidores dão mais importância a reduzir os resíduos, apoiar os pequenos produtores agrícolas e limitar a quantidade utilizada de produtos sintéticos de proteção das culturas. Também salienta os desafios que os produtores agrícolas enfrentam com a implementação de práticas mais sustentáveis – particularmente as sanções financeiras. Por outro lado, o estudo demonstra que mais de um quarto dos produtores agrícolas consideram as exigências do consumidor o maior desafio no futuro imediato, acreditando que é tão importante como a pressão das pragas. Também reconhecem que a sociedade está aberta a novas técnicas de cultivo, tal como a edição genética CRISPR-Cas, com praticamente nove em dez a acreditar que os consumidores pagariam mais por produtos produzidos com estes métodos”, refere o estudo.

Igor Teslenko, Presidente da Corteva Agriscience Europa, acrescenta que “este estudo demonstra que há uma necessidade real de que sejam produzidos alimentos mais sustentáveis na Europa.”

“É igualmente fantástico ver que os consumidores e os produtores agrícolas estão preparados para incorporar novas técnicas de cultivo que possuem um extraordinário potencial para a produção de alimentos mais nutritivos e que podem melhorar as vidas dos produtores e consumidores. Os consumidores estão preparados para pagar mais por alimentos produzidos de uma forma sustentável e agora é o momento de que todos os acionistas – incluindo a indústria – avancem e demonstrem igualmente o seu apoio”, conclui.