Vinha e Vinho

Fenadegas defende destilação de crise

A Fenadegas está a reivindicar a introdução da destilação de crise, uma medida prevista na OCM vitivinícola para situações imprevistas e graves perturbações de mercado.

Em comunicado de imprensa esta federação revela que,  na sequência do inquérito que lançou a todas as Adegas Cooperativas do país, “uma das medidas propostas para equilibrar o mercado do vinho, entre outras, foi a destilação de crise, com preço mínimo de mercado garantido”.

A Fenadegas reitera que “em boa hora constatamos que França e outros países produtores Europeus apoiam e reivindicam esta posição, tendo solicitado desde já à Comissão Europeia a aprovação e definição da medida” e aplaude esta tomada de posição, considerando que esta posição é indispensável para o equilíbrio do mercado do vinho e para a defesa dos viticultores, empresas e cooperativas.

A federação acrescenta ainda que, “será importante que a destilação abranja os Vinhos IG (Indicação Geográfica) e DOP (Denominação de Origem Controlada), dado a quebra de venda se verificar em todos os segmentos”.