Quantcast
Web Summit

A agricultura também foi à Web Summit

Web Summit Vida Rural

Entre milhares de empresas que participam na WebSummit, há empresas de todas as dimensões, desde startups a cotadas no PSI20, que têm no seu portefólio soluções para a agricultura. A monitorização para melhorar a produtividade é o segredo.

O ecossistema do empreendedorismo está em Portugal. A WebSummit está a decorrer em Lisboa e está preparada para receber mais de 53 mil participantes até quinta-feira. Miguel Frasquilho, presidente da AICEP – Portugal Global antecipa receitas relacionadas com o turismo na ordem dos 200 milhões de euros “fora as receitas dos hotéis, da restauração e do comércio”, disse o responsável da AICEP à margem do evento à Vida Rural. Mas, também o setor agrícola sai beneficiado com o efeito desta cimeira. A transformação digital vai permitir à indústria agrícola melhorar a produção. Seja através de sistemas de rega inteligentes, de sistemas de Internet das Coisas aplicados a vinhas, monitorização das culturas entre outras.

Duas das startups portuguesas que estão a desenvolver soluções destinadas à agricultura estão inclusivamente entre as oito que mais pedidos de reuniões receberam antes mesmo da cimeira começar: a FarmControl e a AgroInsider

Monitorizar para aumentar produção

As soluções para a agricultura encontram-se onde, eventualmente, menos se poderia esperar. A Noesis, tecnológica portuguesa reconhecida nos domínios da gestão da qualidade, de testes e desenvolvimento ágil de aplicações, está a preparar um projeto assente na Internet das Coisas (IoT), um dos pilares da transformação digital para um cliente. É ainda prematuro avançar com o nome do cliente e os detalhes do projeto que está ainda numa fase embrionária, mas Nelson Pereira, Chief Techonoly Officer da Noesis, avançou as linhas gerais do mesmo à Vida Rural. “Estamos a aplicar a plataforma de gestão de ativos “4Assets” num grande produtor vinícola em Portugal”. O objetivo é “aplicar o que já fizemos noutros projetos a um novo asset: a videira”. O projeto consiste na aplicação de sensores para monitorizar variáveis como a temperatura ou a humidade. Estes dados são recolhidos e tratados com recurso a ferramentas de analytics, à cloud e ao big data, sendo traduzidos num número reduzido de indicadores que permitem ao agricultor tomar decisões assentes em milhões de dados cientificamente analisados.

Também a PT Empresas está a desenvolver soluções aplicadas à agricultura, geralmente através de parceiros. Inês Ferreira, responsável da área de produto IoT na PT Empresas, explicou como funciona a solução de gestão agrícola e espaços verdes da PT. Através destas soluções é possível criar planos de rega ótimos sem intervenção humana. A telecom tem ao dispor uma série de sensores – de humidade, de caudais, pluviómetros – que, associados à informação meteorológica, permitem a criação de planos de rega ótimos, ativados remotamente. “São soluções particularmente eficientes em grandes áreas”, contribuindo para “ganhos de produtividade”, explicou Inês Ferreira. Podem-se reduzir os consumos de água ou o volume de deslocações do pessoal no terreno. A responsável deu o exemplo de um grande jardim em Lisboa que poupou milhares de euros em água com a introdução destes sensores através de um dos parceiros da PT.

Uma das startups portuguesas com soluções desta natureza é a Trigger Systems que aplica a IoT à agricultura e ao ambiente. A empresa tem soluções que visam o controlo eficiente e automático da irrigação e de outros sistemas, a partir de centrais de controlo, contribuindo para o aumento da produtividade quer das terras quer das pessoas.
As campeãs das marcações de reuniões operam também nesta área. É o caso da FarmControl que desenvolveu uma solução que permite a monitorização de todas as variáveis ambientais e funcionais de qualquer operação agrícola e o controlo personalizado de equipamentos. Por seu lado, a AgroInsider criou ferramentas para a recolha inteligente de dados da produção aliando ciência, agricultura e inovação.

Destaque ainda para a Agroop, que criou soluções para a agricultura de precisão, software de gestão, redes e ferramentas adaptadas ao setor, para a Watgrid que disponibiliza soluções inovadoras para a monitorização de líquidos, incluindo uma plataforma IoT para a monitorização inteligente de vinho.

Outra solução nacional é o sistema operacional WiseCrop que recolhe dados a partir de diferentes ferramentas para apoiar os agricultores nas suas atividades diárias.

Outras inovações encontram-se na Black Block, uma empresa que está a aplicar a tecnologia à desidratação de alimentos e produtos agroalimentares assegurando a conservação e acrescentando-lhes valor e a Optishower quer aplicar o conceito da gamificação à agricultura. Esta startup aplica as técnicas de gamificação a uma solução que permite, por exemplo, monitorizar, medir e reduzir o consume de energia e água.

Esta lista está longe de ser exaustiva, a Vida Rural vai continuar a procurar soluções inovadoras para a agricultura na Web Summit.