Agroindústria

Siro e Cerealto unem-se para criar novo grupo alimentar

Siro e Cerealto unem-se para criar novo grupo alimentar

A Siro e a Cerealto anunciaram na passada semana a decisão de integrar as duas empresas num único grupo alimentar dedicado à produção de marcas para terceiros – a Cerealto Siro Foods. Juntas, as empresas estimam atingir já este ano uma faturação global de cerca de 600 milhões de euros e uma produção de 400 mil toneladas.

Numa nota enviada às redações, as multinacionais revelam que juntas agregam uma equipa de 5000 colaboradores distribuídos por 17 unidades de produção em Espanha, Portugal, Itália, Reino Unido e México, e ainda uma equipa nos Estados Unidos da América.

“O objetivo do novo Grupo é posicionar-se no mercado global de alimentos com uma oferta de produtos que respondam às necessidades dos consumidores nos diferentes mercados, com um modelo de negócio focado na qualidade, na eficiência operacional e na inovação em produtos e processos. Especializados no desenvolvimento de categorias globais e na produção de produtos alimentícios derivados do cereal para clientes do setor do retalho e B2B, acompanhados de uma elevada capacidade produtiva nos múltiplos mercados onde atua”, explicam as empresas sobre a decisão de fusão.

A Cerealto Siro Foods pretende concentrar os seus recursos operacionais e financeiros nas categorias de Biscoitos, Cereais e Pastas, linhas de negócios com gamas de produtos de carácter global e, segundo a multinacional com “um elevado potencial de desenvolvimento em diferentes mercados.”

A empresa diz ainda que, com esta estratégia, continuará a ser “um fornecedor especializado da Mercadona no mercado espanhol”, mantendo o atual portefólio de clientes, não só em Espanha, mas também noutros mercados internacionais.

Por outro lado, a companhia pretende “desinvestir nas categorias de Bolos e Pão” linhas de negócio que, segundo o grupo, “registaram um crescimento notável nos últimos anos e apresentam excelentes perspetivas de desenvolvimento. No entanto, exigem um foco e recursos locais que não se encaixam na estratégia do novo Grupo.”

“O processo de desinvestimento será sempre realizado garantindo a procura do melhor comprador, para o qual que estes negócios façam parte do cerne da sua estratégia, garantindo o emprego e as condições laborais das pessoas que neles trabalham. A Mercadona, principal cliente destes negócios, foi informada e apoia a estratégia do novo Grupo focalizada nos negócios de Biscoitos, Cereais e Massas, e na venda dos negócios de Bolos e Pão”, acrescenta ainda.