Sustentabilidade

Transparência, estratégias de educação e comunicação são solução para a adoção de modelos de economia circular

Transparência, estratégias de educação e comunicação são solução para a adoção de modelos de economia circular

A plataforma Portugal Agora e a Amb3E promoveram no passado dia 22 de novembro uma conferência dedicada à economia circular. Para além de um diagnóstico das ações de economia circular levadas a cabo em Portugal, foram apresentadas estratégias de promoção de modelos inovadores que incentivem um consumo sustentável, a reutilização de recursos e processos produtivos circulares.

O debate contou com a presença do especialista em Economia Verde, Fernando Teigão dos Santos, do Fundador e Presidente da ReFood, Hunter Halder, da Assessora do Ministro do Ambiente e da Transição Energética para a Economia Circular, Inês Costa, e da Diretora de Comunicação do Lidl, Vanessa Romeu.

No final da sessão, todos concordaram que o caminho para a adoção de modelos de economia circular passa pela promoção da transparência de processos, pelo estabelecimento de estratégias estruturadas de educação e pela comunicação da relevância do tema da economia circular.

“A conferência destacou ainda a oportunidade trazida pela economia circular para a criação de novos modelos de negócio, que podem ser aplicados a todos os setores da atividade económica numa lógica de responsabilidade alargada desde o produtor ao consumidor e com o potencial da utilização transversal do seu framework, olhando para a cadeia de valor e desafiando os stakeholders a ter em atenção o seu potencial”, explica a organização da iniciativa em comunicado.

Carlos Sezões, Coordenador do programa Portugal Agora, sublinha que “num tempo em que muitos clusters da economia nacional se estão a reinventar, alavancados pela tecnologia e pela transformação digital, pretendemos abraçar os desafios abertos e as oportunidades criadas com uma discussão, ação e execução que permitam o desenvolvimento do país”.

O responsável acrescenta que “modelos económicos inovadores que assentem na redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia, como é o caso do conceito de economia circular, são estratégicos para a aceleração económica de Portugal ao mesmo tempo que melhoram o ambiente e a sustentabilidade a longo prazo”.