Quantcast
Biotecnologia

Eletrocussão de ervas pode ser o próximo método de controlo herbicida

Uma investigação da Universidade do Missouri desenvolveu um novo método de controlo de ervas através de eletrocussão.

Uma investigação do Bradford Research Center, da Universidade do Missouri (Estados Unidos da América, desenvolveu um novo método de controlo de ervas através de eletrocussão, revela a universidade, no seu site. Os investigadores Kevin Bradley e Haylee Schreier acreditam que poderá resolver o problema em ervas com resistência aos herbicidas.

O modelo Weed Zapper usado na pesquisa atinge as ervas daninhas com 15.000 volts de eletricidade provenientes de um gerador de 110.000 watts na parte de trás do trator. Os modelos custam entre 42 mil e 72 mil de dólares .

As pesquisas revelaram que o equipamento funciona melhor em velocidades mais baixas e que o processo é ainda mais eficaz em algumas das mais desafiantes ervas daninhas, quando utilizado em intervalos de sete dias no final do verão.

banner APP

Os dados da investigação mostram que até ao final da colheita há um controlo quase total de tasneira, avoadinha e de Amaranthus tuberculatus. É um pouco menos eficaz nas ervas.

Além de matar as ervas daninhas, a eletrocussão também afeta a viabilidade de sobreviver às sementes. O maior impacto é observado no Amaranthus tuberculatus, onde cerca de 65% das sementes tornam-se inviáveis.

O cientista Kevin Bradley afirma que a eletrocussão não é nova no campo da gestão de ervas daninhas, sendo utilizado na beterraba nos estados norte americanos da Dakota do Norte e da Dakota do Sul, desde os anos 50.