Agricultura

Angola não está a progredir na agricultura

Angola quer reduzir importações

A comissária para a Economia Rural e Agricultura da União Africana, a angolana Josefa Sacko, afirmou que Angola é dos países do continente que não está a progredir em termos de desenvolvimento agrícola. De acordo com o Jornal de Angola, a comissária revelou-se preocupada dadas as boas condições agrícolas do país, com terras aráveis e bom clima: “Temos de acelerar com a nossa agricultura. Temos a vantagem de estarmos em duas regiões (África Central e Austral) onde podemos ser uma potência”, adiantou.
Josefa Sacko disse ainda que Angola é apenas um dos muitos países do continente africano em que o setor da agricultura não progride e lembrou que os Chefes de Estado e de Governo da União Africana adotaram, em 2003, uma Declaração que estabelece que os países membros devem destinar 10% das despesas públicas ao fomento da Agricultura, abarcando aqui também as áreas das Florestas, Pescas e o Ambiente.
A comissária da União Africana afirmou que dos 54 países africanos apenas 20, entre os quais a Etiópia, estão a cumprir com essa recomendação. “No ano passado recebemos 47 relatórios (de países africanos) e destes só 20 estão a progredir relativamente à Declaração de Maputo, estando assim em condições de reduzir a fome e a pobreza e triplicar o comércio inter-africano”, declarou.
A falta de aposta na agricultura faz com que o continente africano viva de importações e gaste anualmente entre 35 a 50 milhões de dólares, revelou a comissária. “Temos de traçar programas para reduzir as importações de produtos agrícolas, sobretudo os da cesta básica”, defendeu.

Recorde-se que no passado mês de dezembro foi estabelecido um protocolo entre a AJAP e a Associação de Jovens Agricultores Angolanos para reforçar a cooperação na área da formação técnico-profissional.