Agricultura

Produção nacional de azeite poderá atingir máximo histórico

A produção nacional de azeite poderá ter atingido as 140,5 mil toneladas, um novo máximo histórico, segundo as previsões do inquérito anual aos lagares de azeite.

Os resultados apresentados reportam-se a uma amostra de lagares que nas quatro campanhas anteriores representaram 90% da produção nacional de azeite.

Nos resultados do inquérito é explicado que ao extrapolar “o volume total de azeite produzido pelos 117 lagares que responderam ao inquérito (126,4 mil toneladas) para o número total de lagares em atividade”, a estimativa obtida aponta para que o volume de produção total nacional de azeite seja 140,5 mil toneladas.

A quantidade de azeitona nos lagares aumentou 33%, em relação à campanha anterior, e o seu rendimento médio em azeite verificou um aumento de 13,4% para 15,2%. Como consequência, há um aumento de 51% no volume de azeite produzido em comparação com a anterior campanha.

Menos azeitona em Trás-os-Montes

Apesar dos resultados, a instabilidade meteorológica afetou a quantidade de azeitona colhida, principalmente na região de Trás-os-Montes, e terá prejudicado a qualidade dos frutos em geral, impedindo que o seu rendimento em azeite fosse mais elevado e, consequentemente, que o volume de azeite produzido fosse maior.

Em Trás-os-Montes, além da instabilidade meteorológica e ventos fortes, também se verificaram fortes ataques de mosca da azeitona, o que terá contribuído para a diminuição de 27% na quantidade de azeitona, resultando no rendimento médio mais baixo das últimas 6 campanhas.

Por sua vez, o aumento da área de olival intensivo e superintensivo em produção no Alentejo fez com que se registasse um aumento de 64% no volume de produção de azeite, reforçando assim a sua posição de liderança na produção, representando 88% da produção nacional.

Do total de azeite extraído da campanha, 42% reporta ao mês de novembro do ano passado, 37% a dezembro, 14% a outubro e 7% a janeiro de 2020.