Vinha e Vinho

Saiba como uma jovem norte-americana está a desafiar as regras do mercado do vinho

Saiba como uma jovem norte-americana está a desafiar as regras do mercado do vinho

A necessidade aguça o engenho e foi precisamente para responder a uma necessidade de consumo que a norte-americana Emma Toshack decidiu apostar num formato pouco tradicional para embalar vinho, desafiando as regras de um produto que está associado a um consumo premium.

De acordo com a publicação Inc., a CEO da Nomadica decidiu juntar a conveniência de uma lata à qualidade do vinho e criar aquela que é hoje uma marca de sucesso nos EUA. Criada em 2017, a marca que vende vinho em lata quer colocar um ponto final na ideia de que o vinho de qualidade só pode ser vendido engarrafado.

“Pensei: ‘E se houvesse uma marca de vinho que fosse nómada o sentido em que leva as pessoas a viajar pelos vinhos de todo o mundo’. Dessa forma, as pessoas sentem-se mais confortáveis a experimentar algo novo de uma nova região”, refere a CEO da marca.

Todas as latas de vinho vendidas pela Nomadica contam com ilustrações criadas por artistas. O vinho, por sua vez, é fornecido por produtores de todo o mundo, uma colaboração que, de acordo com Emma Toshack, mantém os custos da empresa baixos e lhe permite vender vários varietais de vários cantos do globo.

As latas de vinho têm preços que variam entre os 5 dólares e os 7 dólares e podem ser compradas online e em algumas lojas selecionadas da Califórnia, Nova Iorque, Vermont, Oklahoma e Washington.  A CEO da Nomadica revela ainda à Inc. que as vendas cresceram cerca de 1400% em janeiro e que a marca deverá chegar à Austrália ainda este ano.

O vinho enlatado ainda é um mercado de nicho na indústria do vinho, mas tem vindo a crescer, sobretudo por força dos consumidores da ‘geração do milénio. Só no ano passado, as vendas de vinho enlatado atingiram um total de 32,3 milhões de dólares nos Estados Unidos da América.